Pesquisar neste blogue

A carregar...

quarta-feira, 13 de Maio de 2009

Perder a virgindade

Como mãe de duas meninas, arrepia-me um bocadinho ver por aí como o sexo está banalizado. Dizem que hoje em dia uma miúda de 15 anos raramente é virgem. Isso para mim é demasiado scary. Com essa idade eu ainda tinha vergonha de beijar um namorado, quanto mais despir-me ou ir para a cama com alguém.

Perdi a virgindade tarde. Muito tarde, comparando com as minhas amigas. Já estava na Universidade. E, apesar de achar que a virgindade é um mito, penso que não deve ser banalizada. É que depois não há volta a dar, e todos os que vierem a seguir vão parar aos nossos lençóis. Simplesmente porque sim. Porque já não há nada a perder. E porque começa a fazer parte do namoro, tal como faz parte de um casamento.

E aí começam os problemas. Primeiro é um, depois outro, e outro, e, quando damos por ela, já a lista ocupa duas ou três folhas do caderno. Comigo, por acaso, não foi assim. Fui muito namoradeira, mas nunca fui para a cama com ninguém. E quando o fiz namorei bastante tempo. Mas quando aquele namoro acabou senti que já não havia nada a perder. Depois daquele poderia vir outro que eu não me importaria. E mais outro, porque ninguém teria mesmo nada a ver com isso. Nunca o fiz porque não calhou, mas poderia tê-lo feito.

Só que eu já era maior de idade, já sabia o que estava a fazer, já trabalhava, e já sabia, mais ou menos vá, com quem me metia. E meninos com as hormonas aos saltos não faziam parte do meu leque de preferências. E por isso nunca fui falada. Nunca fui a maria-vai-com-os-outros. Nunca fui a Biscate da escola. Mas se tivesse sido mais precoce a coisa talvez não tivesse corrido tão bem. Pois se aos vinte e tal pensei da maneira que pensei, aos 15 teria sido bem pior. E teria tido bastante mais tempo para alongar a minha lista de cama. E teria sido falada. Porque as mentalidades não mudam. E talvez não fosse a mulher que sou hoje.

Porque afinal a virgindade não é sagrada, mas deve estar lá no altar. Guardadinha. Para quando tivermos mais cabeça. Para quando tivermos mais vontade. Para quando tivermos mais juízo. E como eu gostava que fosse assim com as minhas filhas.

25 comentários:

S. disse...

Achas que perdeste a virgindade tarde porque já estavas na universidade?

Eu perdi-a com 25, 2 anos após ter terminado a universidade... e não me arrependo! Perdi-a com o homem que amo e com quem quero passar o resto da minha vida... Pode parecer estranho nos dias de hoje mas é isso mesmo que sinto.

brilhosinhos disse...

Brilhante S.,

Eu não acho que perdi a virgindade tarde. O que eu disse foi que perdi a virgindade tarde COMPARANDO com as minhas amigas.

Beijos brilhantes

Maria disse...

Perdi a virgindade na altura certa.. Nem cedo, nem tarde.
Mas não acho que se deva manter esse mito todo até aparecer " o tal"..
E que mal tem a seguir ao primeiro virem os outros todos ? Só se ganha é experiencia.. :P

Beijinho.

Alguém disse...

Eu também tenho duas filhas e ao ler o teu post assaltou-me a mesma preocupação. Penso que nós como mães temos de as alertar para este assunto e não deixar que se banalize a perda da virgindade, porque a realidade é que as miúdas hoje iniciam a sua vida sexual aos 14, 15 anos. Penso que é por falta de orientação e falta de paciência, querem viver tudo de uma vez.

Francisca disse...

Ola concordo com tudo o que disseste!O sexo esta muito banalizado e hoje quem for virgem é vista como uma aberração. Eu perdi-a na altura certa e depois disso apenas mais um- o homem com quem estou casada e que amo muito.Lá pq se faz com um não quer dizer que se tem de fazer com todos! Não vamos banalizar a coisa!

Anónimo disse...

O sexo É banal. Não é banal aos 15 anos, isso não acho. Mas não vejo mal nenhum em ter sexo com o primeiro e com os namorados todos que venham a seguir. O que é bom é para ser gozado. O importante é, sim, estar-se informado àcerca de contracepção e dst's. O resto? Quem é discreto e sabe com quem se mete não tem de enfrentar falatórios. E se tiver... são falatórios. Só se vive uma vez!
Sofia

brilhosinhos disse...

Brilhante Sofia,

Pois é. Mas encarar falatórios quando se tem 25 anos é uma coisa, quando se tem 15, é outra totalmente diferente.

Beijos brilhantes para ti

Pespireta disse...

ai mãe devo ser uma depravada!! deixei de ser pura aos 17 aninhos. se calhar o que me vale é que faço sexo louco e desenfreado com o mesmo gajo à 19 anos. o tal com quem perdi a minha pureza.
ui, ganda maloka.

beijitos doces

p.s. - também tenho sódades tuas

Saltos Altos Vermelhos disse...

o problema é que com 15 anos nem sabem muito bem o que andam a fazer...fazem por é cool e a maturidade deixa mesmo muito a desejar!

Hanokh disse...

tiro-te o chapéu quanto à tua opinião...não acho nada normal que aos 15 anos se deixe de ser virgem, acho prematuro. Acho que é precisa alguma maturidade para dar esse passo. Bem, mas isso sou eu que perdi a virgindade à relativamente pouca tempo, com a pessoa que amo, com quem estou a construir uma relação maravilhosa e duradoura, espero!Mas, se me perguntares porque não deixei de ser virgem antes, não te vou dizer que foi por uma questão de moral, mas sim porque nunca se proporcionou nem eu me senti à vontade para o fazer!E sabes que mais, ainda bem que assim foi :)porque não me arrependo nada que a primeira vez não tenha sido descartável :)

Hanokh disse...

*há relativamente pouco

Hanokh disse...

:D :D :D

tiro-te o chapéu????

ando mesmo a dormir... :D :D :D

tiro, no máximo, o meu chapéu... :D :D

brilhosinhos disse...

Brilhante Hanokh,


Eu penso exactamente como tu. Acho que aos 15 anos ainda não se tem maturidade para se dar um passo que pode parecer banal, mas, para mim, não é. E porque são raros os casos de amor a sério com uma idade dessas.

E é muito melhor se o fizermos com a pessoa que realmente amamos. Depois sentimo-nos muito melhor.

Beijos brilhantes para ti

Sofia disse...

Olá outra vez:)
Sim, concordo plenamente q aos 15 anos não se tá preparada para ter sexo, eu nem aos 18 tava ainda era uma "criança", e tb esperei até tar e até querer e me sentir bem com a pessoa q tava. E compreendo a 100% a preocupação com as tuas filhotas, vivemos num mundo louco.
Mas pelo q entendi (se calhar mal) do teu texto referiste o falatório como algo que soubeste evitar na altura em que eras maior de idade e trabalhavas, e foi a isso que me referi.
Só tenho um ponto de vista diferente quanto à problemática de encher folhas de caderno (não em casos precoces,obviamente) ou de, a seguir ao primeiro, ir pra cama com todos os namorados seguintes. Desde que a pessoa se sinta bem com isso, não vejo mesmo o problema.
Afinal, o sexo é do mais natural que existe.
Bjinhos

Anónimo disse...

Sou sincera, como mãe de duas meninas também esta "coisa" assusta-me imenso.
Penso sempre se serei capaz de lhes transmitir que sexo na adolescencia nao é opção...

constança disse...

Vê-se mm q a vossa adolescencia foi no século passado... A minha também!! mas hj em dia a virgindade não é nenhum prémio, e acho que posts deste género reflectem o grande preconceito social para o comportamento adequado que um "menina" deve manter. Agradeço que respeitem a minha opinião tal como eu respeito a vossa.

brilhosinhos disse...

Brilhante Constança,

É evidente que respeito a tua opinião. Mas o sexo hoje em dia está de facto demasiado banalizado. E se eu falei das meninas, é porque só tenho filhas. E também porque, e apesar de já "estamos noutro século", as adolescentes que coleccionam rapazes na cama continuam a ser alvo de comentários menos bonitos. E os rapazes não. É uma coisa que tem evoluído pouco ao longo dos séculos.

Beijos brilhantes para ti

gralha disse...

Concordo que não devemos banalizar o sexo mas o que importa é querer e estar preparada para isso, não? Será que é mesmo preciso esperar por alguma idade em específico? Será que se nos apetece e vale a pena com aquela pessoa faz algum sentido estar a adiar por medo de ser falada? Haja muito e bom sexo!

brilhosinhos disse...

Brilhante gralha,

Também concordo contigo. Mas será que aos 13, 14, ou 15 anos se tem maturidade suficiente para iniciar uma vida sexual, com tudo o que isso importa? É que não é só o prazer ou medo de se ser falada que está em jogo, é muito mais do que isso.

Miss G. disse...

Não sei se já alguma vez comentei aqui.
Concordo com o que dizes. Como diz o Júlio Machado Vaz vivemos numa sociedade onde existe demasiado sexo, mas muito pouco erótica. Isto é, o sexo é rápido, não fantasiado e extremamente banalizado. E, ser natural é uma coisa, banal é outra.
O meu caso foi engraçado. Tinha 19 anos. Não amava a pessoa, mas não me arrependo. Costumo dizer que o momento foi perfeito, apesar de, hoje, quando penso na pessoa, após tudo o que descobri e aconteceu, me custar acreditar nisso. Mas, de facto, na altura o momento foi bom, bonito e na altura certa daquela relação. Já havia maturidade para saber lidar com as coisas. Com o "mas afinal é só isto" que acho que invariavelmente se sente na primeira vez. Porque só depois se começa a perceber como é bom. Mas, a primeira pessoa que amei, realmente, foi aos 16 anos. A que mais amei até hoje. E sei que, se tivesse acontecido na altura, estava preparada. Mas concordo que aos 15 anos é demasiado cedo. Na maior parte dos casos, por exemplo. E, sobretudo, como se fazem as coisas hoje em dia. Mas penso que, com diálogo e atenção, isso não terá necessariamente que acontecer com as tuas filhas.
Quanto ao resto, de se ir somando nomes na folha do caderno... claro que, após a primeira vez, passa a fazer parte da vida e do namoro. Mas, não sendo de uma forma inconsequente, que também existe, acho que é natural. A partir de certa idade, claro. E não nos bancos do liceu.
Excedi-me, não? ;)

Coraçãozinho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bafejada pelas Musas disse...

Não se preocupem mães:) eu tenho 21 e ainda a tenho comigo:) Nós só somos influenciadas se deixar-mos. E aí entra a educação que nos é dada em casa. E não sou a única da minha idade no meu grupo virgem. Não há pressões. quando acontecer aconteceu. e acreditem que essa ideia de que por umas perderem cedo que influenciam outras já não é bem assim. Cada vez mais a ideia de ser "rodada" assusta as miudas... O que até bom para vocês:)

dclp a invasão mama:)****

Alexandra disse...

Querida Brilhosinhos,

Leio o teu blog sempre que há novidades, porque gosto muito daquilo que escreves e de como escreves. Não comento muitas vezes porque sou um bocadinho envergonhadita, mas leio sempre.
A minha geração, e pelo que eu via quando andava no Liceu, é comum com a minha idade as raparigas e os rapazes (não há distinções) já terem tido uma, duas, três experiências sexuais, não necessariamente com os respectivos.
Eu tenho 18 anos, a caminho dos 19, e tive a minha primeira há um mês, sort of. A pessoa que escolhi para partilhar este momento tem 25, não é alguém que conheço há muito tempo, apenas há uns meses e não temos nenhum tipo de relação estável estabelecida. Antes pensava que iria ser com um namorado de longa data, que conhecesse há muito tempo.
Mudei de ideias, com o tempo. Não o conheço há muito tempo mas gosto imenso dele e sei que é, ou neste caso, foi a pessoa certa na altura certa. Não sei o que vai acontecer daqui para a frente, mas sei que naquela noite, naqueles momentos, fomos só nós os dois, fomos os mais importantes na vida um do outro. Ele será sempre uma parte importante da minha vida e eu serei da dele porque há um carinho muito grande e uma ligação forte entre os dois.
Mas isso acho que é raro hoje em dia, não só na primeira vez mas também noutras seguintes. E também me assusta um bocadinho (e só conto ter filhos daqui a alguns anos).
Compreendo perfeitamente que estejas preocupada com as tuas babies brilhosinhos, mas descansa. O modo de ser e estar na vida vem com a educação que nos é dada desde pequeninos, maioritariamente pelos pais e professores. E tu e teu brilhosinhos fazem de certeza um óptimo trabalho na educação das vossas babies, por isso, descansa.

Beijinho* e desculpa se o comentário é algo despropositado. :&

Anónimo disse...

Eu aos 10 anos ja tinha a virgindade perdida.. e tive um filho aos 10 ano.. achei bom ele nasceu com 3 kilos e nos meus lençois ja passou milhares de homens :p

ana martins disse...

Olá, meu nome é ana paula tenho 15 pra fazer 16 anos em agosto, tipo, sou virgem até hoje, e não me envergonho disso, mas acho que isso não tem idade certa para se fazer, vai da maturidade de cada, um se eu sentir que estou preparada agora, eu não tenho nada a temer, a única coisa que me caberia, seria em prevenir contra doenças e uma gravidez precoce ! minha opinião :] beijinhos